Skip to main content

Os poços artesianos são estruturas de captação de água que podem ser encontradas em diversas áreas, tanto urbanas quanto rurais. O recurso é retirado de reservatórios subterrâneos, também conhecidos como aquíferos, e se torna essencial para o uso doméstico, comercial, agrícola e industrial

No entanto, surge uma questão importante: apesar de ser uma fonte natural, a sua potabilidade não é automaticamente garantida. No Brasil, esses parâmetros são regidos pela Portaria GM/MS nº 888, de 4 de maio de 2021.

Antes de ser utilizada para consumo direto, higiene pessoal ou preparo de alimentos, a água de poço requer tratamento e filtragem adequados. Frequentemente, ela pode conter impurezas que comprometem sua qualidade e segurança.

Para assegurar a qualidade e segurança da água de poços artesianos, a instalação de sistemas de tratamento que purifiquem e ajustem as propriedades químico-físicas da água é crucial. 

Isso garante que comunidades e empresas que dependem desses poços possam contar com um suprimento de água seguro e adequado. Confira!

Água de poço artesiano faz mal à saúde?

A água é um recurso indispensável para a vida e a garantia de seu acesso seguro é essencial para a saúde. Muitos recorrem aos poços semi artesianos, que necessitam de bombeamento para trazer a água à superfície, diferentemente dos poços artesianos, que são jorrantes devido à pressão natural da água.

Já os poços caipiras, tradicionais em áreas rurais, são de grande diâmetro e pouca profundidade, frequentemente captando água do lençol freático. Eles estão mais expostos à contaminação por estarem mais próximos à superfície, onde o risco de poluição por agentes patogênicos e químicos é maior.

A contaminação pode ocorrer por meio de poluentes diversos, incluindo pesticidas, bactérias de esgoto, metais pesados e compostos orgânicos. Essa água pode acarretar problemas de saúde que vão desde distúrbios gastrointestinais a condições mais graves.

Dependendo da geologia da região, é possível haver níveis elevados ferro, manganês e sulfato. O consumo prolongado de água com altas concentrações desses minerais pode levar a problemas de saúde, como distúrbios digestivos, problemas de pele e até mesmo danos aos rins.

O recurso captado provém de camadas mais superficiais do solo, onde a filtragem natural por rochas e sedimentos é limitada. Isso significa que ele não passa pelo mesmo processo de purificação que ocorre em camadas mais profundas, tornando-o mais suscetível à contaminação.

Por outro lado, poços artesianos mais profundos, com mais de 100 metros de profundidade, tendem a ser mais seguros devido à sua distância das camadas superficiais contaminadas. É importante ressaltar que eles também necessitam de tratamentos especiais, como a instalação de filtros e bombas.

Principais mitos e verdades

Em áreas sem acesso à rede pública de abastecimento, os poços artesianos assumem um papel crucial, fornecendo água para o consumo humano, agricultura e indústria. Mas será que essa água é segura para a saúde?

Neste tópico, você vai conhecer os principais mitos e verdades sobre a água de poço artesiano, o que o ajudará a tomar decisões conscientes sobre sua saúde e bem-estar.

Toda água de poço artesiano é pura e livre de contaminantes

Mito. A segurança da água proveniente de poços artesianos não é absoluta e depende de diversos critérios. Veja abaixo os principais fatores que influenciam a qualidade:

  • Localização e profundidade: poços artesianos que acessam aquíferos a grandes profundidades tendem a ter água de melhor qualidade, pois estão menos sujeitos à contaminação por poluentes da superfície;
  • Condições do aquífero: a qualidade também varia conforme a geologia do local e a proximidade com fontes de poluição, como áreas agrícolas ou industriais;
  • Manutenção regular: quando realizada com frequência, pode-se garantir a qualidade e segurança da água. Isso envolve a realização de inspeções regulares, a vedação adequada do poço para evitar a entrada de contaminantes da superfície e a limpeza periódica do sistema para remover incrustações e sedimentos acumulados.
  • Tratamento adequado: dependendo dos resultados de análises laboratoriais, pode ser necessário adotar sistemas de filtração e desinfecção para tratar contaminantes químicos e biológicos.

Se a água de poço for límpida e sem sabor, é segura para beber

Mito. A aparência e o sabor da água não são indicadores confiáveis de sua qualidade. Contaminantes perigosos podem estar presentes mesmo que ela seja clara e sem sabor.

Testar a água de poço regularmente é essencial para garantir sua segurança

Fato. A qualidade pode variar ao longo do tempo devido a uma série de fatores, incluindo mudanças nas condições geológicas, atividades humanas e condições climáticas. Portanto, mesmo que pareça limpa e segura, não é possível determinar sua pureza apenas pela aparência.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) recomenda que a água seja testada pelo menos uma vez por ano para detectar a presença de contaminantes. Além disso, em áreas onde há atividades industriais ou agrícolas intensas, testes mais frequentes podem ser necessários devido ao maior risco de contaminação.

A água de poço pode possuir muito ferro e manganês

Verdade. A presença de ferro e manganês em poços artesianos é um problema que exige atenção e medidas imediatas. Através da análise da água, do tratamento adequado e da adoção de medidas preventivas, é possível garantir a qualidade da água para o consumo humano e industrial, evitando os diversos riscos à saúde e à economia.

Entendendo o problema

70% dos poços artesianos no Brasil apresentam teores elevados de ferro e manganês, como apontam alguns estudos e o Ministério da Saúde. Essa contaminação causa diversos transtornos e complicações, como:

  • Mau cheiro e gosto metálico: a água se torna desagradável para o consumo, além de prejudicar o sabor dos alimentos preparados com ela;
  • Proliferação de bactérias: o ambiente rico em ferro e manganês favorece o crescimento de microrganismos nocivos à saúde;
  • Doenças: o consumo prolongado de água com excesso desses metais pode levar a problemas gastrointestinais, distúrbios neurológicos e até mesmo doenças crônicas;
  • Prejuízos à indústria: a água contaminada compromete a qualidade de produtos como alimentos, bebidas e medicamentos, causando perdas financeiras e insatisfação dos consumidores;
  • Formação de incrustações: a “água dura”, rica em cálcio e magnésio, além de ferro e manganês, provoca o acúmulo de minerais nos canos, aumentando o risco de vazamentos e rompimentos.

Leia mais em: Como tratar o excesso de ferro na água de poço artesiano?

Existem diversos métodos para tratar a água de poço 

Fato. O tratamento adequado da água de poço envolve a remoção ou desativação de contaminantes, como bactérias, vírus, produtos químicos e metais pesados. Isso pode ser feito através de métodos como filtração, desinfecção (por exemplo, cloração), osmose reversa e adsorção. 

O tratamento adequado da água de poço pode prevenir doenças graves

Verdade. Existem diversas doenças de veiculação hídrica que podem ser causadas pelo consumo de água contaminada. As principais são: Diarreia por Escherichia coli, Amebíase, Cólera, Leptospirose, Hepatite A, Esquistossomose, Dengue, Febre tifoide, Ascaridíase, Rotavírus e Toxoplasmose.

Água de aquíferos representam pouco no abastecimento

Mito. Diversos municípios, principalmente em regiões com escassez de água, dependem do recurso subterrâneo para seu abastecimento. No estado de São Paulo, por exemplo, mais de 7 milhões de pessoas se beneficiam dessa fonte.

Portanto, a água de poço pode ser uma fonte segura de água potável, mas é importante tomar medidas para garantir sua qualidade. Testar a água regularmente e tratá-la adequadamente são essenciais para proteger sua saúde e bem-estar.

Como garantir uma água de qualidade?

Ter a certeza de que a água é segura para consumo é uma responsabilidade que não pode ser ignorada. Ao realizar análises laboratoriais, testes de campo e estar atento a sinais visuais e sensoriais de contaminação, é possível identificar e prevenir riscos de contaminação, protegendo a saúde de todos.

A AVS Poços Artesianos se destaca como líder no setor de perfuração, manutenção e controle de qualidade de poços. Nosso diferencial está na equipe interna altamente qualificada que conduz todo o processo analítico, evitando a terceirização e mantendo a integridade e precisão dos resultados.

Nosso laboratório, certificado pela ISO 17025, reflete o nosso compromisso com a excelência, garantindo análises rigorosas e confiáveis. Na AVS, unimos experiência, conhecimento técnico e tecnologia avançada para assegurar que sua água atenda aos mais altos padrões de qualidade e segurança.

Confie na AVS Poços Artesianos para garantir a saúde e segurança da água que você consome!

Converse com um consultor da AVS para saber mais

Dúvidas frequentes sobre a água do poço artesiano:

É seguro consumir água de poço artesiano?

Poços artesianos podem fornecer água potável de alta qualidade se estiverem localizados em áreas onde o aquífero é protegido da contaminação e se forem devidamente mantidos e testados regularmente. 

Por isso, é essencial realizar análises regulares da qualidade da água para garantir que seja segura para consumo humano. Em alguns casos, pode ser necessário implementar medidas de tratamento, como a instalação de filtros, para tornar a água do poço potável.

Como saber se a água do poço artesiano está contaminada?

A forma mais confiável de determinar a qualidade da água é através de análises laboratoriais, que podem identificar uma ampla gama de contaminantes, incluindo micro-organismos e produtos químicos. 

Testes de campo, como a medição do cloro residual, também são úteis. Além disso, mudanças na cor, odor ou sabor da água podem indicar contaminação, mas é importante lembrar que alguns contaminantes podem ser inodoros, incolores e insípidos.