Skip to main content

Você já parou para pensar na importância do controle de qualidade da água? Quando ingerimos o líquido contaminado, nosso organismo pode sofrer diversas consequências, como doenças e infecções.

Por conta disso, o Ministério da Saúde estabeleceu diversos parâmetros que precisam ser analisados antes do consumo, com o objetivo de evitar que esses problemas de veiculação hídrica continuem acontecendo.

Neste texto, exploramos tudo sobre o processo de análise, além de contar quais são as principais doenças originadas por uma água mal cuidada.

Navegue e saiba tudo sobre o controle de qualidade da água

bebendo agua

Por que fazer o controle de qualidade da água?

 

A água dos poços artesianos, assim como as dos rios, lagos e outras fontes naturais, é passível de contaminação, seja ela permanente ou intermitente, já que elas ficam expostas a agentes contaminantes.

É extremamente incomum achar esse líquido em seu estado mais puro, a sua versão natural, ou seja, aquela encontrada no meio-ambiente, possui resíduos químicos e sólidos. Os atributos que definem a qualidade da água, foram estabelecidos no documento Padrão de Potabilidade, de acordo com a PORTARIA GM/MS N° 888, de 4 de maio de 2021, que informa os procedimentos para o controle e vigilância da água para o consumo humano.

No próprio Estado de São Paulo, é muito comum encontrar poços que possuem águas com uma alta proporção de ferro e fluoreto. Apesar de esses contaminantes não serem os mais tóxicos encontrados na natureza, quando estão acima dos limites ideais, podem trazer grandes problemas de saúde.

Os casos de água poluída necessitam de planos de prevenção e recuperação ambiental, capazes de melhorar as condições para o seu uso futuro. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a inspeção sanitária realizada para identificar essas alterações na composição do líquido não acontece apenas antes de chegar ao consumidor, mas também em sua origem.

Uma água contaminada pode transmitir doenças?

 

Nós sabemos que a água é uma substância essencial para a vida, porém, ela pode transportar microorganismos e compostos prejudiciais ao corpo humano. A ingestão de um líquido em condições ruins pode gerar casos sérios, como doenças.

A alta incidência de patologias de veiculação hídrica, acontece por conta da falta de tratamento da água. Separamos as principais doenças causadas pela contaminação do fluido, confira a seguir:

  • Amebíase;
  • Diarréia por Escherichia coli;
  • Cólera;
  • Leptospirose;
  • Disenteria bacteriana;
  • Esquistossomose;
  • Hepatite A;
  • Febre Tifóide;
  • Ascaridíase;
  • Rotavírus.

Como é feito o controle de qualidade da água

 

Pessoas físicas ou responsáveis pela administração dos poços artesianos podem e devem solicitar a análise laboratorial da água. Porém, antes de realizar o processo, é necessário verificar quais são as normas que devem ser seguidas, junto de um consultor ambiental, profissional especialista ou com o próprio laboratório.

A água pode ser considerada um solvente universal, já que possui, desde componentes muito benéficos à saúde, como extremamente nocivos ao mesmo tempo, por isso, a sua análise leva em consideração os seguintes pontos:

  • Análise física da água;
  • Análise química da água;
  • Análise microbiológica da água.

Dentro destes tópicos, os especialistas analisam uma série de parâmetros que indicam o padrão de potabilidade do líquido, eles são:

Cor da água

Como parte da análise física, é preciso verificar a cor presente na água, já que esse é um indicativo das substâncias dissolvidas ou divididas finamente.

Turbidez

Assim como a cor, a turbidez é um parâmetro estético que vai definir a aceitação do produto, ela é provocada pela presença de um material fino suspenso na água, causando o efeito.

De acordo com o documento do Ministério da Saúde o valor máximo permitido para a turbidez é de 5,0 NTU, além disso, ele deve ser verificado, pelo menos uma vez por mês, levando em consideração amostras diárias para a desinfecção ou filtração lenta e a cada 4 horas para filtração rápida.

PH

A sigla pH significa percentual hidrogênico, essa escala determina o nível de acidez, neutralidade e alcalinidade da água. Os números podem escalar de 1 a 14, o que mostra a concentração dos íons H+ presentes no líquido.

Este é um parâmetro considerado opcional, ele deve ser verificado para otimizar os processos de tratamento e prevenir problemas nos sistemas dos poços artesianos. O Ministério da Saúde determina que o valor recomendado de pH seja de 6,0 a 9,5.

Cloro residual

O cloro é uma substância fundamental para eliminar e impedir a proliferação de bactérias, vírus e protozoários causadores de doenças na água. Porém, mesmo assim, é necessário acompanhar os seus níveis presentes no líquido.

Os níveis ideais determinados pelo Ministério da saúde são de 0,2 mg/l. – 2,2 mg/l.

Coliformes

Os coliformes são bactérias encontradas no solo, na água e nos dejetos humanos e de animais. Eles não implicam, diretamente, no comprometimento do líquido, porém eles podem indicar a presença de microorganismos causadores de doenças.

Dito isso, as análises são muito importantes, já que as águas que abastecem os poços subterrâneos se deslocam por longos caminhos, podendo ter contato com os coliformes. De acordo com a PORTARIA GM/MS N° 888, de 4 de maio de 2021, a água potável deve apresentar ausência de coliformes termotolerantes ou Escherichia coli em 100 ml de amostra, além da ausência da bactéria do grupo coliformes totais em 100 ml.

Flúor

O flúor é mais um elemento químico colocado na água de abastecimento, já que ele traz benefícios comprovados para a saúde dentária e a eliminação de cáries. O teor da fluoretação pode variar de acordo com as condições climáticas de cada região, tendo em mente, também, o consumo médio diário da população.

É necessário fazer a cloração da água?

 

Como citado no tópico anterior, a cloro é uma substância primordial para a eliminação de microorganismos prejudiciais à saúde. A cloração da água pode acontecer em diferentes etapas, desde o início até a última parte do tratamento.

Toda SAA (Solução Alternativa de Abastecimento) requer a instalação de equipamentos capazes de fazer a cloração do líquido. Uma das formas da substância provadas pelo Ministério da Saúde é o Ácido Tricloro-isocianúrico, composto que consegue deixar o cloro residual livre em boa quantidade, diminuindo a geração de agentes tóxicos como o dicloroetano e diclorobenzeno.

Seguindo os limites estabelecidos pelo Ministério da Saúde, dificilmente o cloro pode causar problemas à saúde, porém, em altas concentrações, ele pode ocasionar coceira na pele e nas mucosas.

Conte com a ajuda da AVS para realizar o controle de qualidade da água do seu poço artesiano! Nossos processos garantem a potabilidade e as boas condições de uso do fluido. Todo o processo de análise é feito por uma equipe própria, sem a descentralização dos serviços e em laboratório com ISO 17025. O processo é supervisionado por engenheiros ambientais internos e as coletas são feitas com equipamento da própria AVS.

Somos uma empresa especializada em desenvolver soluções para poços artesianos com mais de 12 anos de experiência e podemos atender qualquer tipo de projeto.

Gostou do artigo? Compartilhe com seus amigos!

Ficou com alguma dúvida relacionada ao tema?

Somos uma empresa especializada em desenvolver soluções para poços artesianos com mais de 12 anos de experiência e podemos atender qualquer tipo de projeto.

Gostou do artigo? Compartilhe com seus amigos!

Dúvidas frequentes sobre controle de qualidade de água

Por que fazer o controle de qualidade da água?

A água dos poços artesianos, assim como as dos rios, lagos e outras fontes naturais, é passível de contaminação, seja ela permanente ou intermitente, já que elas ficam expostas a agentes contaminantes. Por isso, é muito importante realizar os processos de análise de qualidade do fluido.

A água contaminada pode transmitir doenças?

Sim! A água contaminada pode carregar microrganismos causadores de doenças, como vírus, bactérias e protozoários.

É necessário fazer a cloração da água?

O cloro é uma substância fundamental para eliminar e impedir a proliferação de microorganismos patogênicos, por isso a cloração deve ser feita na medida certa.