Skip to main content

Manter a qualidade da água é fundamental quando pensamos em poços artesianos, pois eles impactam diretamente na saúde e no bem-estar da população que depende desse recurso. 

Além disso, possuem muitos usos, como abastecimento, irrigação, pastagem, fabricação, resfriamento de equipamentos industriais, entre outros.

A segurança da água tem o objetivo de protegê-la contra qualquer forma de contaminação que possa comprometer sua pureza e adequação para consumo. 

Isso porque as águas provenientes da Solução Alternativa Coletiva (SAC), ou seja, poços artesianos, podem não atender integralmente aos parâmetros de potabilidade estabelecidos pela Portaria GM/MS n.º 888, de 4 de maio de 2021.

Assim, para que a água de um poço artesiano seja considerada segura para o consumo humano, é essencial realizar a filtração e desinfecção, como também a eliminação de contaminantes físico-químicos e biológicos, entre outros fatores.

Continue a leitura para entender mais sobre a importância da segurança da água em poços artesianos e confira algumas dicas para garantir a qualidade desse importante recurso.

Qual a importância de se garantir a segurança da água?

A segurança da água em poços artesianos não é apenas uma consideração técnica, mas uma ação essencial para a saúde pública e o bem-estar da população.

Segundo o Art. 24 da Portaria GM/MS n.º 888/2021, “toda água para consumo humano fornecida coletivamente deverá passar por processo de desinfecção ou adição de desinfetante para manutenção dos residuais mínimos”.

A água extraída de profundidades de 100 metros ou mais é frequentemente considerada segura para o consumo humano. Essa segurança advém do fato de que as fontes de água situadas a tais profundidades, frequentemente protegidas por camadas de rocha, têm uma menor chance de contaminação por poluentes presentes na superfície.

No entanto, existem casos em que a qualidade pode ser comprometida devido à presença de minerais naturais, metais pesados ou contaminação bacteriana.

A principal vantagem de se garantir a segurança desse recurso é a proteção da saúde pública. A água é portadora de ameaças invisíveis que podem se esconder sob sua aparência límpida. Vírus, bactérias, protozoários e substâncias tóxicas, mesmo que em quantidades mínimas, são os responsáveis por doenças como:

  • Esquistossomose;
  • Cólera;
  • Amebíase;
  • Giardíase;
  • Febre tifoide;
  • Hepatites A e E;
  • Diarreia por Escherichia coli;
  • Disenteria bacteriana;
  • Rotavírus.

Além disso, águas contaminadas podem afetar ecossistemas locais, impactando a fauna e a flora ao redor do local no qual o poço artesiano é perfurado.

Outro ponto é o desenvolvimento econômico. Comunidades e indústrias que dependem desse abastecimento para consumo próprio, agricultura e outras atividades econômicas podem sofrer consequências sérias se a água não atender aos padrões de segurança. 

No próximo tópico, separamos cinco estratégias para assegurar a qualidade da água de poços artesianos.

5 dicas essenciais para ter uma água de qualidade no poço artesiano

Como você viu, zelar pela segurança da água é uma responsabilidade fundamental na preservação da saúde da população e do desenvolvimento econômico de empresas que precisam dessa estrutura. Aqui estão cinco dicas essenciais:

Limpeza regular

Com o tempo, as paredes e o fundo podem acumular sedimentos, detritos, minerais e até mesmo bactérias. É válido ressaltar que esse acúmulo é um fenômeno natural, mas que afeta a qualidade da água. Daí surge a necessidade da limpeza dos poços artesianos.

A limpeza periódica e preventiva é essencial para prevenir a obstrução dos canos, ferrugem na tubulação e defeitos na bomba, além de garantir que a água extraída permaneça livre de agentes contaminantes. 

Quanto à regularidade, ela varia dependendo das condições específicas da área, mas geralmente é recomendável que a higienização seja feita de uma a duas vezes por ano.

Manter área ao redor do poço livre de contaminação

Além da limpeza, a área ao redor do poço deve ser protegida de substâncias nocivas como produtos químicos, resíduos orgânicos e esgoto. 

Também é fundamental manter o poço a uma distância adequada de fontes de poluição, como fossas sépticas, lixeiras ou áreas agrícolas com uso intensivo de produtos químicos. A erosão do solo é outro fator que pode contribuir para o acúmulo de sedimentos e impurezas no poço. 

Verificação periódica do desempenho do poço

É importante monitorar regularmente o desempenho do poço, incluindo a vazão e a pressão da água. Essa ação ajuda a identificar a eficiência da captação da água, além de descobrir possíveis problemas antes que se tornem maiores e mais caros de serem consertados.

Limpeza dos filtros e bombas

Os filtros e bombas de um poço artesiano também precisam ser limpos regularmente para garantir que a água seja bombeada com eficiência e livre de contaminantes.

A limpeza deve ser conduzida de acordo com as especificações do fabricante, utilizando métodos apropriados para garantir a remoção das impurezas. Da mesma forma, a manutenção das bombas envolve a inspeção das condições mecânicas, lubrificação adequada e ajustes necessários para otimizar o fluxo de água.

Contratar profissionais especializados 

Não deixe de contratar uma empresa especializada para garantir a qualidade da água do seu poço artesiano por muito tempo. A eficácia das medidas de segurança da água é influenciada pela competência e experiência dos profissionais envolvidos na sua manutenção. 

Somente eles podem garantir que todos os procedimentos sejam realizados corretamente e que quaisquer problemas sejam identificados e resolvidos de forma eficiente.

Os processos envolvem equipamentos, produtos específicos e análises técnicas, físico-químicas e microbiológicas para identificar a presença de contaminação e avaliar características como pH, cor, odor, sabor e turbidez da água. 

Além disso, os profissionais possuem habilidade para executar trabalhos manuais como desinfecção, manutenção, perfuração, entre outros.

Cuidados diários para se ter com um poço artesiano

A gestão eficaz de um poço artesiano requer atenção diária e a aplicação de boas práticas para preservar a qualidade da água. 

A primeira delas é o monitoramento do uso da água. Se possível, implemente sistemas para controlar o uso diário e identificar padrões, prevenir desperdícios e evitar maiores danos ao aquífero.

A prevenção ativa contra contaminação é outra ação importante. Inspecione regularmente as áreas ao redor do poço e mantenha uma zona de segurança para evitar o acúmulo de resíduos e produtos químicos. 

Também é fundamental se precaver contra fatores climáticos, como tempestades de raios. Procure instalar sistemas de proteção e desenvolva planos de emergência que incluam bombas reservas para evitar paradas inesperadas. 

Por fim, estabeleça uma rotina para avaliar todos os componentes, incluindo bombas, filtros e sistemas de captação da água. Realize verificações regulares para identificar e corrigir problemas antes que afetem o funcionamento do poço.

Garanta uma alta qualidade na água do seu poço artesiano com a AVS Poços Artesianos

Tenha agora um abastecimento de água confiável, seguro e sem dores de cabeça! Conte com nossa equipe multidisciplinar, composta por geólogos, engenheiros ambientais e técnicos de saneamento para resolver qualquer demanda relacionada à construção, manutenção e regularização de poços artesianos.

Entre em contato conosco para uma conversa e descubra como podemos atender às necessidades da sua empresa.

Garanta um abastecimento de água seguro, de qualidade e legal.

Entre em contato com a AVS Poços Artesianos e saiba mais sobre os serviços especializados que prestamos há mais de 10 anos!

Gostou deste artigo? Compartilhe o link com quem se interessa pelo assunto!

Dúvidas frequentes sobre segurança da água

O que é a segurança da água?

É um padrão de garantia de que a água disponível para consumo e uso geral atende às regulamentações estabelecidas para preservar a saúde e o bem-estar das pessoas.

Por que investir na segurança da água de poços artesianos?

A qualidade da água dos poços artesianos está diretamente ligada à prevenção de doenças como amebíase, esquistossomose e cólera, já que a contaminação por microorganismos patogênicos pode resultar em surtos de enfermidades gastrointestinais e infecciosas.

Além disso, a água contaminada pode afetar ecossistemas locais, prejudicar a flora e fauna, e comprometer o funcionamento do poço ao longo do tempo, afetando sua eficiência.